PDA

Ver Versão Completa : Debian-lxde-8.7.1-amd64-lxde/desktop-guia-pos-instalação



gu1le
11-05-2017, 01:27
2017-ABRIL





ANOTAÇÕES-DEBIAN-LXDE-8.7.1-AMD64-LXDE/DESKTOP-GUIA-POS-INSTALAÇÃO






Desta vez deu certo instalar o debian-live-8.7.1-amd64-mate-desktop em meu computador. Um tempo atrás instalei e para mim era uma tortura tentar arrastar as janelas com o mouse. Não sei, mas isto não é mais problema pois agora tudo se movimenta bem no meu desktop. Ainda bem que minha máquina envelheceu. Amigo, depois que o Windows abandonar tua máquina daqui a algum tempo, o Debian fica contigo por muito mais tempo. Talvez até quando computadores existirem do jeito que são atualmente.





Sou fã incondicional do ambiente LXDE atualmente, meu computador é modesto. Aprendi a gostar de usar o Debian LXDE, o Mate e o LXDE são realmente muito bons rodando no Debian, Fedora e Ubuntu. Apesar de no Ubuntu os ambientes LXDE, MATE e XFCE serem sempre um pouco mais pesados se comparados com os mesmos ambientes no Fedora e Debian. Porém, demora mais fazer a pós-instalação no Debian e Fedora.


Dou valor a minha humilde máquina. Tem gente que nem esta mixaria de harware que eu tenho tem. O legal do Linux é que ele roda em todo tipo de computador. Rejoice, rejoice!


Como é que eu faço?


Eu pesquiso, monto um tutorial para mim enquanto estou instalando. Tento aprender alguma coisa com meus erros e conserto o que posso. Depois o que consegui resolver salvo em arquivo, estas ações anotadas se tornam um diário. Algumas vezes chamo isto de artigo, outras de vezes digo que são crônicas. Então eu publico.
Eu primeiro baixei a ISO por torrent. Depois de baixar ela conferi a integridade da midia baixada.






Verificando a autenticidade dos CDs do Debian em:



https://www.debian.org/CD/verify





Tudo OK. Aí pensei:



“Vou gravar este arquivo ISO em um pendrive, mas como?”
Peguei um DvD com o Linux Mint Sarah e usei para gravar a ISO Debian que estava numa partição do HD que roda o Fedora LXDE e no meu caso não tinha o software gravador de pendrive instalado.





Eu bem que tentei instalar o liveusb-creator, mas após instalar não o encontrei no meu ambiente gráfico do Fedora LXDE. Mas com o DvD do Linux Mint Sarah eu gravei o Debian-LXDE-Live-8.7.1-amd64-Mate-Desktop sem problemas e muito rapidinho.





Grande Linux Mint Sarah. Mas eu quero que meu sistema consuma menos memória RAM e teria que desinstalar muita coisa do Linux Mint correndo o risco de desestabilizar ele. Nem ele e nem eu merecemos isto.





debian8-wpapers





O interessante para mim, é ver os sistemas operacionais mudando experimentar as mudanças, configurar, errar pesquisar e anotar.





Se tem um coisa que eu aprendi vivenciando o mundo Linux com seus sistemas operacionais para o “average joe” é que a tecnologia não muda dia-a-dia. Muda de hora em hora, toda hora sem parar. É fascinante. Impressionante. Uma loucura. Claro que quem usa o sistema Android (que é um sistema Linux) em smartphones uma hora entende isto, visto o tanto de atualizações e novos programas que aparecem diariamente fora a quantidade absurda de update que estes programas Android pedem se você deixar seu computador de bolso na atualização automática (não faça isto).





O Debian-LXDE-Live-8.7.1-amd64-LXDE-Desktop pode ser usado pelo pendrive, mas vem só com o básico do básico. Para mim que já tenho um pouquinho de experiência, agora entendo que isto não é ruim, pelo contrário é muito bom.
Quanto mais coisa instalada mais pesado as coisas ficam. Tem muito programa que eu não uso e o sistema vindo leve e limpo, eu posso instalar o que eu quero e o que acho mais adequado ao ambiente LXDE que eu escolhi para usar. Isto não quer dizer que não vou instalar uma porrada de programas como você verá nestas anotações.





Ao instalar o Debian-LXDE-Live-8.7.1-amd64-LXDE-Desktop ele determina que sejam estabelecidas duas senhas. A tua e a de superusuário, como sou preguiçoso, coloco a mesma senha com mais de 14 digitos (letras maiúsculas, minúsculas, símbolos e números) nos dois.





Olha pessoal, é bom criar boas senhas, longas senhas mas, se um profissional tentar invadir; isto não para o invasor, apenas demora mais tempo.





Agora, o que um “average joe” como eu teria a oferecer a um bom profissional em invasões? Isto não quer dizer que a cada 3 ou quatro dias eu não faça backup offline das coisas que gosto e mantenho fora de qualquer sistema operacional. Isto não quer dizer que não limpo minha máquina e navegador constantemente e também não quer dizer que periodicamente eu não troco minhas senhas do sistema e do roteador. Mas quando uma pessoa quer arrebentar a porta e entrar, se ela souber como fazer e tiver as ferramentas, ela entra. É só uma questão de tempo, como ja me disseram.





Teve uma vez que ficaram abaixando e aumentando o volume do meu sistema uns cinco minutos, não foi com o Debian, não foi com o Fedora, foi com o Ubuntu.





Sinceramente, eu não gostei nada disto formatei tudo e meia hora depois estava ativo com outro sistema operacional e pronto.





Voltando ao Debian-LXDE-Live-8.7.1-amd64-LXDE-Desktop, após instalar a primeira coisa que eu faço, é abrir o terminal que está no menu sistema e digitar:





su



Aperto enter





Digito a senha e aperto enter executo os comandos abaixo:



apt-get update ; apt-get upgrade -y






Aguardo o sistema ser atualizado. Poderia fazer a atualização usando os comandos abaixo também sem entrar como administrador (su) porque o su já está incluido no comando de atualização, pois é, a gente enche o saco de ficar digitando apt-get (a vida inteira sim):





su -c ‘aptitude update’



su -c ‘aptitude full-upgrade’





Configuro o sudo para o meu usuário enquando o sistema está sendo atualizado abrindo outro terminal e digitando:





su -c ‘adduser nome-de-usuário sudo’





Espero a atualização do sistema acabar.
Encerro a sessão e volto ao sistema e reinicio com o comando:





su -c ‘shutdown -r now’





Ou como administrador:





shutdown -r now






Edito o source.list do Debian-LXDE-Live-8.7.1-amd64-LXDE-Desktop usando o editor de texto leafpad que é atualmente o editor de texto padrão do LXDE com o comando:





sudo leafpad /etc/apt/sources.list




Se tivesse instalado o editor de texto gedit com:


sudo apt-get install gedit -y ; sudo apt-get update




Poderia executar o mesmo comando assim:


sudo gedit /etc/apt/sources.list





Abre-se um arquivo de texto. Apago tudo nele, colo o texto abaixo, salvo o texto e fecho o editor de texto.



deb http://httpredir.debian.org/debian jessie main contrib non-free
deb-src http://httpredir.debian.org/debian jessie main contrib non-free

deb http://httpredir.debian.org/debian jessie-updates main contrib non-free
deb-src http://httpredir.debian.org/debian jessie-updates main contrib non-free

deb http://security.debian.org/ jessie/updates main contrib non-free
deb-src http://security.debian.org/ jessie/updates main contrib non-free





ESTA SOURCE.LIST ABAIXO É BEM LEGAL DE USAR:





# deb cdrom:[Debian GNU/Linux 8 _Jessie_ – Official Snapshot amd64 LIVE/INSTALL$
#deb cdrom:[Debian GNU/Linux 8 _Jessie_ – Official Snapshot amd64 LIVE/INSTALL $
deb http://ftp.br.debian.org/debian/ jessie main non-free contrib
#deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ jessie main non-free contrib
deb http://security.debian.org/ jessie/updates main contrib non-free
#deb-src http://security.debian.org/ jessie/updates main contrib non-free
# jessie-updates, previously known as ‘volatile’
deb http://ftp.br.debian.org/debian/ jessie-updates main contrib non-free
#deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ jessie-updates main contrib non-free
# jessie-backports, previously on backports.debian.org
deb http://ftp.br.debian.org/debian/ jessie-backports main contrib non-free
#deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ jessie-backports main contrib non-free
#Multimedia
deb http://www.deb-multimedia.org jessie main non-free







Ao editar a source.list eu acabo de dizer ao sistema, para que ele busque os pacotes da distribuição ESTÁVEL, sem abrir mão de software mais recente (atualizado), incluindo os pacotes não livres.



Se estivesse usando o editor de texto nano eu salvaria o arquvo de texto com ctrl+O, enter, ctrl+X .



De volta a janela do terminal, eu executo os seguintes comandos para inserção da chave keyring e atualizar os mesmos. Tranquilo.




Problemas com chaves públicas?


Instale o pacote "debian-keyring"


# apt-get install debian-keyring


# apt-get update


Anote o número da chave pública que está faltando e é mostrada no teu terminal.



Agora utilize o comando:


$ su


# apt-get install debian-keyring


E, depois, utilizar o comando:


# gpg --keyring /usr/share/keyrings/debian-keyring.gpg \
-a --export 5C808C2B65558117 | apt-key add -


Lembre-se de colocar depois do export o número da chave que dá erro no seu apt-get update.




Aí eu atualizo o sistema com o comando abaixo:


sudo aptitude update ; sudo aptitude full-upgrade



Depois eu reinicio o sistema:



sudo reboot



Aperto enter e o sistema vai reinicializar. Quando reinicializa, eu volto para este meu tutorial. Há quem diga que eu gosto muito de reboot e que não há necessidade alguma de tudo isto. Eu sou um estudante e deste jeito e estou fazendo com o meu sistema e com o meu hardware as minhas custas, depois de muitas instalações de Debian me sinto bem, o que mais posso dizer?
Então, installo firewall e sandbox:



sudo aptitude install gufw firejail seahorse ; sudo aptitude update ; sudo aptitude install python-gdbm-dbg python-tk libgle3 python-pyopencl ; sudo apt-get update ; sudo apt-get upgrade



apt-get update ; mkdir -p ~/.local/share/applications; for profile in $(basename -s .profile /etc/firejail/*.profile); do if [[ -f /usr/share/applications/$profile.desktop ]]; then sed -r 's/^(Exec=)/\1firejail /' /usr/share/applications/$profile.desktop > ~/.local/share/applications/$profile.desktop; echo $profile configured to run in firejail; fi; done




Como agora parece estar tudo funcionando bem na minha máquina não vejo necessidade de atualizar o Kernel. Mas se eu fosse atualizar, faria assim:




“Usar uma versão mais atual do seu kernel pode trazer benefícios, principalmente no suporte ao seu hardware.



Para saber quais versões do kernel estão disponíveis, uso o comando search como administrador”:



su



Aperto enter e digito a senha.



aptitude search linux-image



Aparecerá algo parecido com isto no terminal:



i A linux-image-3.16.0-4-amd64 – Linux 3.16 for 64-bit PCs

p linux-image-3.16.0-4-amd64 dbg – Debugging symbols for Linux 3.16.0-4-amd64

p linux-image-4.4.0-1-grsec-amd64 – Linux 4.4 for 64-bit PCs, Grsecurity protection

p linux-image-4.5.0-0.bpo.2-amd64 – Linux 4.5 for 64-bit PCs

p linux-image-4.5.0-0.bpo.2-amd64-dbg – Debugging symbols for Linux 4.5.0-0.bpo.2-amd64
i linux-image-amd64 – Linux para computadores de 64 bits (meta-pacote)




“A sua lista pode ser diferente da minha, portanto tenha cuidado na sua escolha.”




Se você tem dúvidas sobre o assunto, pesquise.



“No meu caso, para instalar o kernel 4.5, uso o seguinte comando”:



aptitude install linux-image-4.5.0-0.bpo.2-amd64
“Quando você reiniciar o sistema, já estará usando o novo kernel.
Para se certificar disto, use o comando uname”:



uname -r





Sobre a atualização do Kernel a fonte é:

https://elias.praciano.com/2016/05/o-que-fazer-depois-de-instalar-o-debian/






Agora eu começo a instalar programas e se tiver algum programa novo interessante que eu não conheço e fico sabendo eu pesquiso e instalo só pra ver se é util para mim, desde que possa saber se é de boa procedencia. Na maioria das vezes as novidades vem em tar...



Então, antes de instalar eu, devo me lembrar como é que se instala arquivos tar.gz e arquivos tar.bz2 ou tar.xz. porque eu desejo instalar programas que não vem por padrão na distribuição. Tem como instalar, mas eles podem alguma vez, como disse, ser arquivos tar.



Pacotes do tipo .tar.gz ou .tar.bz2 contém os fontes do programa prontos para compilação (transformar fontes em executáveis).



Sua instalação não dependia da distribuição usada. Tente instalar tar.gz no Solus Linux por exemplo... é possivel, porém é um esquema parecido com o abaixo.



O .tar significa que dentro desse arquivo existem outros arquivos e sub-pastas e o .gz ou .bz2 é o tipo de compactação que foi usada na criação do pacote.




Abro o terminal e digito os seguintes comandos nessa ordem:



$ cd /home/usuário (entro no diretório onde está o pacote)



$ ls (só para eu ver o pacote que eu baixei)



$ tar -jxvf nome_do_pacote.tar.bz2





Para extrair os arquivos de um pacote .tar.bz2 uso o comando listado acima, caso fosse um .tar.gz o comando seria bastante semelhante:




$ tar -zxvf nome_do_pacote.tar.gz



Ou seja, muda apenas em uma letra de "j" para "z" ou vice-versa. Procuro saber o que significa cada uma dessas letras, para isso uso o comando:


$ man tar



Agora posso notar que foi criado um novo diretório:



$ ls


$ cd nome_do_diretório_criado


$ ls



Estou vendo um arquivo chamado "configure".



Esse arquivo 'prepara' o Linux para instalar o programa, checando dependências, entre outras coisas.



Se encontrar problemas na etapa seguinte, leio o INSTALL ou o README, eles informam tudo que preciso ter e/ou fazer para ter o programa funcionando perfeitamente.



$ ./configure



(o ./ significa que quero executar esse arquivo)



Serão verificadas variáveis de ambiente e dependências de bibliotecas.



Essa etapa demora um pouco, caso o configure encontre algum erro, anoto, vou no install e vejo se fala algo sobre.



$ make


$ make install (instala o programa no Linux)




Listinha de comandos:



tar -zxvf nome-do-arquivo.tar.gz - desempacota o arquivo de extensão .tar.gz;


tar -jxvf nome-do-arquivo.tar.bz2 - desempacota o arquivo de extensão .tar.bz2.




Tem pacote que nem é preciso executar:


configure

make

make install.




Ao desempacotar o 'tar' dentro da pasta já está o executável prontinho para ser executado, ou existe um arquivo de instalação próprio do programa, como é o caso de pacotes para office e as vezes, o popcorn.







Mas... vou primeiro instalar arquivos que tem na distribuição é moleza:




Eu instalo alguns codecs:



sudo aptitude install libavcodec-extra



sudo aptitude install gstreamer0.10-plugins-ugly gstreamer0.10-plugins-bad gstreamer0.10-fluendo-mp3 gstreamer0.10-pulseaudio



sudo aptitude install libgstreamer-perl libgstreamer-interfaces-perl



Os primeiros programas que eu instalo são Conky-manager, o reprodutor de midia VLC, o editor de texto Mousepad, o Fbreader, o mcomix, o comix, o Calibre, o Sigil, o youtube-dl, o cliente de email Thunderbird, os geradores de senha pwgen e makepasswd, para pacotes zip e rar instalo o unrar e o p7zip e p7zip-plugins.



Para música instalo o Clementine.


Para torrents instalo o Transmission.


Meu navegador favorito já vem pré-instalado.





Eu instalo o VLC usando aptitude ou com o synaptic:



sudo apt-get install synatic -y ; sudo aptitude install vlc -y ; sudo aptitude update ; sudo aptitude dist-upgrade



Assim que o VLC abrir a primeira vez eu tenho que ir em ferramentas → preferencias → Video e escolher em Saída a Saída de Vídeo do X11 (XCB) se não quando o VLC for reproduzir um video ele fecha automaticamente pois a saida estava em automático.





Instale estes programas (sugestão) caso desinstale algum, é só voltar aqui e instalar novamente.




sudo aptitude update ; sudo aptitude install bleachbit gimp shotwell gparted gnome-disk-utility scratch geany musique transmission ; sudo aptitude install uget pinta smplayer wget liferea thunderbird gnugpg enigmail gedit gdebi dreamchess calibre comix mcomix fbreader ; sudo aptitude install youtube-dl musique p7zip unrar rar audacity thermald ; sudo aptitude install lm-sensors gconjugue firejail inkscape pinta ; sudo aptitude update ; sudo apt-get check ; sudo aptitude update ; sudo aptitude upgrade ; sudo aptitude dist-upgrade






Icones e Temas
Arc Icon Theme no Debian 8
Baixe primeiro o arquivo .deb Moka-Icon-Theme e instale com o Gdebi. Para isto visite esta página:



https://launchpad.net/~moka/+archive/ubuntu/daily/+packages


OU:


http://launchpadlibrarian.net/310851425/moka-icon-theme_5.3.5-2_all.deb




Ou instale o Moka via terminal



Baixe Moka via terminal pegando o link de download do site official acima onde está arquivo .deb Moka adicionando: wget


Depois, instale o pacote .deb que é o Moka, com o comando: sudo dpkg -i


E instale dependências do Moka com: sudo apt-get install -f


Fica assim comandos separados por: ” ; ”



$ wget https://launchpad.net/~moka/+archive/ubuntu/daily/+files/moka-icon-theme_5.3+r470~daily~ubuntu15.10.1_all.deb -O moka.deb ; sudo dpkg -i moka.deb ; sudo apt-get install -f





Baixe arc-icon-theme arquivo .deb para instalar com o gdebi em:


http://download.opensuse.org/repositories/home:/Horst3180/xUbuntu_15.10/all/





Desafios:



Instrução de como instalar o arc-icon-theme do github:



Manual Installation



To build the theme the follwing packages are required


autoconf
automake
pkg-config or pkgconfig if you use



Fedora


libgtk-3-dev for Debian based distros or gtk3-devel for RPM based distros

git if you want to clone the source directory



Note: If your distribution doesn't ship separate development packages you just need GTK 3 instead of the -dev packages.



For the theme to function properly, install the following



GNOME Shell, GTK 3.14 - 3.22
The gnome-themes-standard package
The murrine engine. This has different names depending on your distro.


gtk-engine-murrine (Arch Linux)
gtk2-engines-murrine (Debian, Ubuntu, elementary OS)
gtk-murrine-engine (Fedora)
gtk2-engine-murrine (openSUSE)
gtk-engines-murrine (Gentoo)



Install the theme with the following commands



1. Get the source

Clone the git repository with

git clone https://github.com/horst3180/arc-theme --depth 1 && cd arc-theme



2. Build and install the theme

./autogen.sh --prefix=/usr
sudo make install

Other options to pass to autogen.sh are

--disable-transparency disable transparency in the GTK3 theme
--disable-light disable Arc Light support
--disable-darker disable Arc Darker support
--disable-dark disable Arc Dark support
--disable-cinnamon disable Cinnamon support
--disable-gnome-shell disable GNOME Shell support
--disable-gtk2 disable GTK2 support
--disable-gtk3 disable GTK3 support
--disable-metacity disable Metacity support
--disable-unity disable Unity support
--disable-xfwm disable XFWM support

--with-gnome=<version> build the theme for a specific GNOME version (3.14, 3.16, 3.18, 3.20)
Note: Normally the correct version is detected automatically and this
option should not be needed.

After the installation is complete you can activate the theme with gnome-tweak-tool or a similar program by selecting Arc, Arc-Darker or Arc-Dark as Window/GTK+ theme and Arc or Arc-Dark as GNOME Shell/Cinnamon theme.





Agora, tento o Arc-Pine-Icon-Theme

# echo ‘deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/Pival81/Debian_8.0/ /’ > /etc/apt/sources.list.d/arc-pine-icon-theme.list ; apt-get update ; apt-get install arc-pine-icon-theme






Tento instalar Arc-Icon-Theme (azul)



# echo ‘deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/Pival81/Debian_8.0/ /’ > /etc/apt/sources.list.d/arc-icon-theme.list ; apt-get install arc-icon-theme




Se fosse no ubuntu:



sudo sh -c "echo 'deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/Horst3180/xUbuntu_16.04/ /' > /etc/apt/sources.list.d/arc-theme.list" ; sudo apt-get update ; sudo apt-get install arc-theme





Bom, se você é iniciante que nem eu e chegou até aqui deve estar meio doido... Kkkkk.



Tenha calma que não tem necessidade de fazer tudo em duas horas que nem eu.




Você pode adicionar a chave do repositório no apt. Tenha em mente que o dono da chave pode distribuir atualizações, pacotes e repositórios que o seu sistema irá confiar. Depois de um tempo o Debian pode não aceitar mais este repositório. Para adicionar a chave execute:





# wget http://download.opensuse.org/repositories/home:Pival81/Debian_8.0/Release.key ; apt-key add – < Release.key ; apt-get update







ICONES NUMIX



$ sudo su –



senha e enter copie e cole



# apt-get update ; apt-get install git ; mkdir numix; cd numix && git clone https://github.com/cldx/numix-gtk-theme && git clone https://github.com/numixproject/numix-icon-theme && git clone https://github.com/numixproject/numix-icon-theme-circle && mv numix-gtk-theme /usr/share/themes && mv numix-icon-theme/Numix/ /usr/share/icons && mv numix-icon-theme-circle/Numix-Circle/ /usr/share/icons; cd – && rm numix -rf






Instalo os Icones e Temas Pop. São Pacotes .deb zipados que são instalados com o programa que instala pacotes .deb o gdebi.


Atualmente o link que eu uso é este abaixo, pode mudar daqui um tempo:



https://drive.google.com/file/d/0BwAdBAspPDMYWF95bmhWMWtrVnc/view



Em um sistema operacional comprado pronto você não tem tantas opções visuais como o linux oferece atualmente. É bom, é bonito e só depende, de você estudar e aprender a instalar, por que todos os programas são de graça. :)




Bom, fico por aqui hoje. Espero que estas anotações te ajudem o tanto quando são úteis para mim.





FONTE: https://software.opensuse.org/download.html?project=home%3AHorst3180&package=arc-theme




Fico por aqui. Espero que minhas anotações lhe seja útil. Elas são bem úteis para mim.







Até Breve.